Representantes do governo decepcionam na CPI da Previdência

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência realizou, na última quinta-feira (17), mais uma audiência pública no Senado Federal. Dessa vez foram ouvidos alguns representantes do governo: o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid; o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano e o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Leonardo Gadelha.

 

A COBAP (Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas) representada pelo secretário-geral, Luiz Legñani, acompanhado pela assessora de comunicação, Lívia Rospantini e pelo assessor econômico, tinha expectativa de que os representantes do governo apresentassem os números verdadeiros da Previdência, o que não aconteceu.

 

O presidente do INSS não apresentou o Fluxo de Caixa, ou seja, o balanço financeiro da Previdência. A COBAP já divulgou amplamente que o governo está confiscando os recursos da Seguridade Social, que deveriam ser destinados ao Fluxo de Caixa, e desviando para o pagamento dos juros da dívida pública.

 

Até 2014 não havia déficit computado no Fluxo de Caixa do INSS, porém, a partir de 2015 até hoje, o governo fabrica o déficit para justificar a reforma. Apenas nos anos de 2015 e 2016 o governo confiscou mais de R$ 200 bilhões dos recursos da Seguridade Social, que iriam para o Fluxo de Caixa do INSS e desviou para a área fiscal do governo. O objetivo é culpar a Previdência pela atual crise econômica e cobrir o rombo fiscal do Governo.

 

A COBAP participa ativamente da CPI da Previdência, que continua com os trabalhos até novembro, e vai continuar com a denúncia de que “A Previdência não tem rombo, tem roubo”.

 

Maurício Oliveira – Assessor econômico/COBAP