Mobilização contra a reforma da Previdência deve continuar

 

O Presidente Temer articula manobras políticas para votar a reforma da Previdência ainda em setembro deste ano. Afirmou que acabará com a intervenção federal no Rio de Janeiro para que a matéria entre na pauta.

Diante disso, o movimento dos aposentados, pensionistas e idosos precisa continuar sua mobilização contra a reforma em todo o país e junto com seus parlamentares de cada estado.

A CPI da Previdência Social concluiu em relatório divulgado para todo o país que o sistema previdenciário não é deficitário e existe muito dinheiro a ser recebido dos grandes devedores. Além disso, é preciso acabar com a desoneração da folha, com a DRU e com as renúncias fiscais previdenciárias. Todos esses instrumentos reduzem as receitas da previdência social.

A CNAPS e a COBAP estão atentas a todas as manobras políticas do governo em Brasília para continuar lutando contra a reforma da Previdência.

 

Servidores públicos

Existem manobras de Câmaras Municipais, principalmente em São Paulo (SP), para aumentar a alíquota de contribuição previdenciária na folha de pagamento dos servidores públicos municipais.

A COBAP é contra qualquer medida que venha a prejudicar e onerar ainda mais os servidores públicos e suas aposentadorias.

por Maurício Oliveira – Assessor econômico