A crise do país é de falta de ética, de gigantismo da máquina pública e mau uso do dinheiro público

A crise econômica do país aponta claramente para o uso indevido do dinheiro público. A população paga os impostos para ter direito a serviços públicos de qualidade, tais como educação, saúde, segurança e aposentadorias justas. Mas isso não ocorre. O Estado brasileiro tem um custo financeiro muito elevado e um retorno social muito precário.

Os três poderes da República também são muito caros. A população sustenta financeiramente esses poderes e não vê resultados positivos, pelo contrário, assistimos a uma crise política muito grande e aumento de vantagens para seus membros. Enquanto isso vai acontecendo, dia após dia, o Governo e o país ficam paralisados em suas funções econômicas e sociais essenciais.

A Previdência Social não é culpada pela crise econômica. Na verdade, ela é uma vítima dessa crise, pois sua receita é sistematicamente utilizada de maneira errada e ilícita. A população precisa ser melhor informada disso e denunciar os desvios de recursos da Previdência.

Finalizando, é preciso uma efetiva e firme fiscalização dos recursos da Previdência Social e também de uma redução dos gastos dos três poderes da República.

Por Maurício Oliveira /Assessor econômico/COBAP