Devolvam o dinheiro da Previdência!

A CPI da Previdência Social concluiu por unanimidade que a Previdência Social não tem déficit. Muito pelo contrário, a Previdência possui um superávit de R$ 2,1 trilhões em quinze anos. Além disso, mais de R$ 4,7 trilhões foram para o ralo através de vários instrumentos como a DRU, desvios orçamentários, renúncias fiscais, fraudes, desonerações, sonegação e os devedores. A CPI concluiu também que a Previdência social não precisa de reforma.

Os Governos, todos eles, sempre tentam mudar as regras da Previdência Social com o objetivo de cobrir o rombo fiscal que eles mesmos criaram. Os Governos gastam muito e de maneira errada e depois tentam jogar nas costas da Previdência Social a conta para pagar. É muita irresponsabilidade com o dinheiro público.

A Reforma pretendida pelo Governo somente vê a questão previdenciária pelo lado da despesa, ou seja, sempre alega que é preciso reduzir os custos das aposentadorias e pensões sob o risco de aumentar o déficit e inviabilizar todo o sistema no longo prazo. Errado. O chamado déficit é uma política social que cobre as aposentadorias rurais e os benefícios assistenciais da LOAS (Lei Orgânica de Assistência Social) e que são cobertos com recursos do orçamento da Seguridade Social.

A questão mais importante não é apenas reduzir despesa, pelo contrário, mas sim construir uma política consistente e permanente de recuperar as receitas previdenciárias oriundas dos grandes devedores, da sonegação, da desoneração da folha, das renúncias previdenciárias e de tantos outros desvios de recursos (DRU) que todo ano maltratam a saúde financeira da nossa Previdência.

Esse é o ponto que a COBAP vai lutar, ou seja, resgatar o dinheiro da Previdência que vai para o ralo. Nessa estratégia de luta, a COBAP defende que o dinheiro da Previdência seja devolvido e que seja definitivamente proibido os desvios e o uso indevido dos recursos da Seguridade Social, e principalmente da Previdência. A COBAP também apoia decisão do Tribunal de Contas da União – TCU em realizar uma auditoria nas contas do Governo Federal.

 

fonte: Assessoria econômica da COBAP